Pesquisa Quaest mostra piora na segurança pública

Uma pesquisa divulgada, na última semana, pela Quaest indica que a maioria dos brasileiros sente piora na segurança pública. Quando questionados sobre suas percepções nos últimos 12 meses, os entrevistados afirmaram que a violência:

  • Aumentou: 79%
  • Ficou igual: 15%
  • Diminuiu: 4%
  • Não sabe ou não respondeu: 2%

Entre os dias 10 e 16 de novembro de 2023, 2.007 pessoas foram entrevistadas. A margem de erro é de 2,2 pontos, podendo variar para mais ou para menos.

A região Sul lidera com a maior percepção de aumento na violência (83%), seguida pelo Sudeste (81%) e Nordeste (79%). 81% das mulheres entrevistadas percebem um aumento na violência, em comparação com 77% dos homens.

Aqueles que ganham mais de cinco salários mínimos e os que recebem entre dois a cinco salários mínimos são os dois grupos que mais perceberam um incremento na violência, conforme indicado por 81% dos participantes da pesquisa.

Indivíduos de cor preta (81%) foram os que mais perceberam o crescimento na violência, seguidos por Brancos e Pardos (ambos com 79%), e de outras etnias ou raças (73%).

O estudo revela que 50% dos participantes já sofreram com assalto, furto ou roubo pelo menos uma vez na vida e que 85% dos indivíduos conhecem alguém que já vivenciou essa situação.

De acordo com a pesquisa, 81% dos brasileiros vêem a violência e o crime organizado como problemas nacionais, enquanto para 16% são considerados problemas locais.

Já 83% acreditam que o “crime organizado” está em ascensão, em contraste com 3% que pensam que está diminuindo e 3% que acreditam que permanece o mesmo.

Quando se trata de confiança nas instituições de segurança pública, 44% dos entrevistados avaliam que “confia totalmente” nas Forças Armadas (Aeronáutica, Exército e Marinha). Eles são seguidos pela Polícia Federal com 36%, Polícia Civil com 25%, Polícia Militar com 23% e o Poder Judiciário com 17%.

A maior quantidade de “não confia” pertence ao Poder Judiciário (24%), seguida pela Polícia Civil (21%) e pela Polícia Militar (20%).

A maioria dos entrevistados (53%) acredita que a Justiça não tem feito o suficiente para combater o problema da violência, enquanto 44% consideram que a Justiça tem feito o máximo possível.

Quando questionados sobre seu acordo ou desacordo com certas afirmações, 94% afirmaram concordar com a “redução da maioridade penal”, 93% aprovaram o “aumento da pena para criminosos pegos com armas pesadas” e 77% acreditam que deveria existir a “pena de morte no Brasil”.

Com informações do G1.

Fonte: Internet

artigos relacionados

categorias

conteúdo exclusivo

Redes